Mais uma noite

01/02/2009

Por Sapo

Algumas palavras soam doces. Quando expresso o que eu quero, por exemplo. O que eu disse não foi totalmente em vão. Apesar de quem eu criticava (evito citar nomes) não está por perto. Pude chegar em algumas conclusões que não conseguiria só.

As pessoas bancam o que não são. Pensam ser algo e agem assim. Algumas tentam ser alguma coisa na vida e isso eu não critico. Critico os meios que elas usam para atingir seus objetivos. Vender meu corpo é uma coisa que eu não faria por dinheiro nenhum. Eu nasci pobre e não tenho vergonha, apesar de não querer ser pobre pelo resto da vida. Afinal, somos todos capitalistas, e se alguém diz que não se importa com dinheiro está mentindo.

Tem quem me ache cafona pelo que digo. Escutei agora a pouco que o amor morreu. Aquela menina realmente não acreditava nisso: “amor é quantos centímetros ele tem”. Eu já esperava que ela dissesse algo tão baixo, mas não com tanta categoria. Acho que ela não faz amor, faz metros.